Gestão à Vista na Prática – o quê, Como e Quando Fazer

Illustration of data analysis graph

Se tivéssemos que escolher um sinônimo para a expressão Gestão à Vista a melhor opção seria ‘informação ao alcance de todos’!

Não é fácil implantar uma cultura de Gestão à Vista, depende muito da visão, maturidade e da disponibilidade da empresa em expor seus dados. Algumas empresas simplesmente não cogitam a possibilidade de falar abertamente sobre seus planos futuros, dados de produção e especialmente: faturamento e erros.

Selecionar as informações que serão expostas é um detalhe importantíssimo e pode ser, de início, um bom argumento para começar. Cada setor tem que ter acesso às informações que lhes dizem respeito, nada além, que possa confundir responsabilidades, nada abaixo, porque podem soar sem nexo para quem vê. Mas vale comentar que a integração entre os setores pode melhorar números em comum.

Mas não seria mais conveniente enviar as informações apenas para os líderes, por e-mail?

Conveniente certamente seria. Mas cada dia mais as empresas precisam de eficiência e não só de conveniência, é necessário abandonar a zona de conforto. A partir do momento que todos têm visão dos resultados, metas, erros e etc, cria-se uma cultura de expor os melhores números possíveis: nenhum setor quer ser o “patinho feio” e deixar os números negativos ou ruins, passa-se a ter uma corrida para mudar o que não está bom.

Dados por e-mail, só para líderes, também correm risco de cair no esquecimento. Muito comum abrirmos uma planilha, olhar, ver o que está bom e o que precisa ser melhorado, tomar providências iniciais e… só no mês que vem, no próximo e-mail. A Gestão à Vista está ali, no dia-a-dia, todo dia, a todo momento, incomodando ao mostrar erros e dados ruins, dando orgulho dos bons resultados, e o melhor: para toda a equipe! Isso gera um sentimento de propriedade, de necessidade de melhorar.

Quadro Gestão à Vista

Já falamos das dificuldades da implantação, da conveniência (ou não!), de um ar motivacional, mas, como implementar de fato a Gestão à Vista em uma empresa?

O primeiro passo é identificar quais setores receberão as informações, – pode-se começar aos poucos, com uma ou duas áreas – quais informações são relevantes e gerarão melhores resultados se expostas. Feito isso, é importante que se defina uma periodicidade para atualização das informações (notícia velha desanima!) e quem será o responsável por alimentar esses dados.

Segundo passo: de que forma será essa comunicação. Serão informativos via gráficos, via números. Vale lembrar que quanto mais visual a informação, melhor e mais rápido as pessoas absorvem, por isso, seja sucinto e prático. Se acompanhamento for diário, use cores diferentes para resultados diferentes, se for gráfico, que seja o mais claro possível.

O terceiro passo é comprometer a equipe para que esses dados tão valiosos sejam elemento de mudança de comportamento, de melhoria contínua. O setor precisa compreender a importância e o porquê de tudo estar à vista de todos.

Com essa dinâmica é possível dar o pontapé inicial. Mas lembre-se que é preciso insistir, persistir e integrar para que os resultados apareçam. O ser humano é muito visual, então valorizar a forma como a Gestão à Vista é feita, seu formato, cores, referências é tão importante quanto disponibilizar a informação. Experimente, faça o teste e perceba os resultados!

  , , , , ,